A espirometria é um teste que auxilia na prevenção e permite o diagnóstico e a quantificação dos distúrbios ventilatórios. A espirometria deve ser parte integrante da avaliação de pacientes com sintomas respiratórios ou doença respiratória conhecida como bronquite, asma, penumonia, tosse e falta de ar, por exemplo.

A espirometria serve para saber se a quantidade de ar inspirado é suficiente para o indivíduo ou se há alguma obstrução à passagem do ar, como a presença de um corpo estranho, diminuição do tamanho dos brônquios por reação alérgica como ocorre no caso da asma, ou por secreções no local.

A espirometria dura em média meia hora e é feita da seguinte forma. O médico dá ao indivíduo em aparelho para que ele sopre ar com a maior força possível para dentro dele. Após essa primeira etapa, o indivíduo deve utilizar um remédio para melhorar a respiração (broncodilatador) e realizar novamente o sopro no aparelho, dessa maneira pode-se verificar se há um aumento da quantidade de ar inspirado após o uso do medicamento.

Um computador vai registrar todos os dados obtidos através do exame para uma análise posterior.

  • Pacientes Asmáticos;
  • Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC);
  • Doenças Intersticiais Pulmonares;
  • Doenças Respiratórias Ocupacionais;
  • Doenças Neuromusculares;
  • Sintomas Respiratórios (falta de ar, chiado no peito, tosse frequente);

  • Não é necessário jejum;
  • Refeições volumosas devem ser evitadas 1 hora antes do exame;
  • Broncodilatadores de curta ação: devem ser suspensos 4 horas antes do exame (exemplos: salbutamol, fenoterol, terbutalina, ipratrópio);
  • Broncodilatadores de longa ação: devem ser suspensos 12 horas antes do exame (exemplos: salmeterol, formoterol, tiotrópio);
  • Café e chá não devem ser ingeridos nas últimas 6 horas;
  • Cigarro deve ser suspenso 2 horas antes do exame;
  • Álcool não deve ser ingerido nas últimas 4 horas;
  • O paciente deve repousar 5 a 10 minutos antes do teste;