Polissonografia é um registro complexo da atividade elétrica cerebral, da respiração e de sinais indicativos de relaxamento muscular, movimentos oculares, oxigenação sanguínea, batimento cardíaco e outros.

Cerca de 30% dos adultos roncam e, embora para a maior parte deles isto não signifique um problema grave, estima-se que em 5% dos casos o ronco está associado a apnéia do sono.

A polissonografia é indicada para diagnóstico de diversos distúrbios do sono, além das apnéias e roncos. Assim, é útil para o diagnóstico da insônia, sonambulismo, terror noturno, ranger de dentes (bruxismo), fibromialgia e outros.

  • Quadros de insônias;
  • Quadros de sonolência excessiva;
  • Distúrbios respiratórios sono-dependentes;
  • Comportamentos anormais durante o sono;

  • O paciente deve estar bem alimentado;
  • É orientado a manter suas atividades diárias normalmente. O uso de álcool deve ser avaliado individualmente; se o paciente não faz uso diário de bebida alcoólica, esta deve ser evitada no dia do exame;
  • Para melhor fixação dos eletrodos, o cabelo deve estar lavado e seco, sem utilização de produtos como gel, spray. Pacientes que não usam barba, devem fazê-la no dia do exame;
  • A retirada de medicações deve ser feita unicamente sob orientação do médico do paciente. Caso faça uso de antidepressivos, ansiolíticos, hipnóticos, antipsicóticos, recomenda-se um período de 14 dias para a realização do exame se a medicação for suspensa;
  • O paciente deve trazer seus objetos de uso pessoal: pijama ou camisola, chinelo, escova e pasta de dentes. Caso costume estranhar dormir com outros travesseiros, deve trazer o(s) seu(s) travesseiro(s);