A ultrassonografia constitui uma modalidade de exame de imagem sem a utilização da radiação, constituindo um exame inócuo para os pacientes e praticamente sem contraindicações.

A obtenção da imagem é realizada pela emissão de ondas sonoras de alta frequência que são refletidas ao atingir um tecido ou órgão estudado. Este fenômeno físico também é conhecido por “eco” e, por isso, é comum encontrarmos o termo ecografia como sinônimo de ultrassonografia.

A ultrassonografia pode ser empregada para o diagnóstico de diversas doenças em diferentes partes do corpo humano. Por ser um método rápido e seguro, é comumente utilizado no meio médico para fins preventivos, diagnósticos e como acompanhamento de tratamentos, sendo que a ultrassonografia obstétrica, a abdominal, a pélvica e a de mamas são as mais realizadas na prática médica.

Como os órgãos e tecidos refletem o som de forma diferente, por meio de um processamento dos ecos, é possível distinguir as diferentes estruturas do corpo que estão sendo analisadas. Uma das grandes vantagens da ultrassonografia é permitir a avaliação em tempo real de vários órgãos que aliado ao seu baixo custo operacional o torna um exame extremamente versátil na medicina.

Os exames ultrassonográficos mais comuns são os de:

  • Abdome;
  • Pélvico;
  • Mamas;
  • Tireoide;
  • Articulações;
  • Doppler vascular;

É um dos principais métodos de diagnóstico de massas, nódulos, cistos ou cálculos abdominais (fígado, vesícula, pâncreas, baço, rins), pélvicos (bexiga, próstata, útero, ovários), no pescoço (tireóide) ou outras regiões do corpo.