É uma técnica utilizada na ginecologia para diagnósticos e cirurgias intra-uterinas não-invasivas para investigar o interior do útero (cavidade uterina). Permite a avaliação das patologias em casos de infertilidade, abortos, sangramento uterino anormal, pólipos, miomas, aderências e espessamento do endométrio.

Durante o exame para diagnósticos é introduzida pela vagina, no canal do útero, uma fina ótica (fibra ótica) que, acoplada a um sistema de vídeo, fonte de luz e um expansor com gás, permite a visualização do canal cervical, cavidade uterina, orifícios tubareos e as patologias desses locais.

  • Sangramento uterino anormal (sangramento menstrual exagerado ou fora do tempo);
  • Na elucidação de alterações observadas na ultrassonografia;
  • Infertilidade feminina;
  • Suspeita de miomas;
  • Suspeita de pólipos;
  • Mal formações uterinas;
  • Suspeita de tumores malignos;
  • Na pesquisa da amenorréia (falta de menstruação sem motivo aparente);
  • No controle de cirurgia uterina prévia;
  • Localização de DIU (Dispositivo Intra Uterino);

  • Recomenda-se tomar analgésico 2 horas antes do exame;
  • É ideal que a paciente não esteja menstruada no dia do exame;